Pedal no Grupo Astros: missão cumprida com louvor!

Por Pedaguas
Fotos de Renato Araújo Alves, Wilmar Castro, José de Oliveira Júnior, Daniel Rosa, Mari Rodrigues, David Patrick, Fabiano Alves, Sílvio Sá, Diogo Santos, Eldenice Rocha, Cecília Heinen e Fábio Malaguti

Um dos DIAS mais secos e quentes do ano. um verdadeiro mar de cerrado preservado. sem nenhuma alma viva a quilômetros e pedalando longas distâncias antes do primeiro e único apoio, vários ciclistas não conseguiram completar os 122 km do percurso dentro do Campo de Instrução de Formosa – área do exército brasileiro – no tempo estipulado. tremenda Roubada? programa de índio? Ao contrário, todos adoraram! Para contar como foi essa verdadeira epopeia, o texto abaixo foi escrito pelas várias mãos de alguns que lá estiveram. e um pouco mais de uma centena de fotos foram selecionadas entre as milhares produzidas pelos nossos talentosos bikers fotógrafos e cinegrafistas. Nos acompanhe nessa inédita trilha.

Grupo Astros_Lagoa Grande Cecilia Heinen

“Depois de centenas de e-mails trocados entre a equipe, eis que conseguimos fechar o tão esperado pedal no Grupo Astros em Formosa. Quando foram abertas as inscrições não imaginávamos um quórum de tamanha dimensão. Mas isso devemos exclusivamente ao nosso artista Carlos Duarte que o Evandro tão bem soube definir: ‘(…) o artista que com seu texto e arte convenceu aquele bando de gente a entrar naquela fria :-) ‘. E essa foi a fria mais quente que já entrei! E faria tudo outra vez. Pois bem, dada a dimensão que o evento tomou, muitas medidas foram sendo tomadas no último mês para que a coisa funcionasse. E funcionasse bem! Tivemos que bloquear inscrições, abrir lista de espera, disparar inúmeros e-mails. Controles e mais controles. Trabalhar com orçamento apertado, sem visar lucro nenhum é sempre muito complicado.

1273994_10151863397104161_620308800_oAstros 01.jpg1016441_217172505114894_526061911_n

Mas é isso que queremos ser, apenas um grupo de amigos que querem pedalar juntos. E saibam, foi emocionante ver aquele bando de carros se dirigindo para a Fazenda Bonsucesso, ponto zero do pedal.

1236223_217173285114816_1555132145_n601765_575557135841330_489012677_nAstros 03.jpg9774841211_b2bf86ab10_c14092013(006)Astros 07.jpg20130914_0915101239065_520815378007299_530702339_o

E mais ainda, quando o Evandro, presidente do Pedaguas, o Tio Kin e o Carlos Duarte subiram e falaram a todos os ciclistas, não teve jeito, me emocionei. Muitas coisas passaram pela minha cabeça naquele momento: o primeiro pedal do Pedaguas, quando nos encontramos no Shopping Maggiore rumo a trilha dos Toneis. Ninguém sabia de nossa existência. E agora, estávamos ali, organizando um evento daquele tamanho! É, a ficha caiu, somos de fato um grupo de mountain bike. E isso implica em muita responsabilidade. A alegria nessa hora se mistura com o medo de que algo saísse errado, pois apenas 2 ou 3 de nós conheciam o caminho a ser percorrido. Mas agora, só restava partir.

2013-09-15 08.39.21 pm2013-09-15 08.37.26 pm2013-09-15 08.42.14 pmAstros 09.jpg9774835882_2f7920732b_b9767124906_a6e2ccc8f6_b9766919032_6232c755be_b9774829202_3781f74f2c_b9775007654_d85f9717c5_b1274790_637860282915022_308544195_o2013-09-15 08.44.47 pm2013-09-15 08.51.38 pm601731_217175458447932_1098686875_n

E partimos após os agradecimentos e considerações. Um grupo que não estava conosco saiu à frente. Já no quilômetro 19 encontramos um dos rapazes com o nariz esfolado. Ficamos tristes pelo acontecido, e apreensivos também, mas demos graças por não ser ninguém do nosso grupo.

20130914_1044209766930761_e1910d5ab5_b9767151826_bdca5e5ac0_b1293018_521141541308016_1044810859_o2013-09-15 10.36.23 pm2013-09-15 08.56.15 pm

Muitos pelotões foram se formando de acordo a resistência dos ciclistas. Logo o senhor ligeirinho (Antônio Pedro) e seus companheiros (José Henrique, Rodolfo e alguns outros que não sei o nome) foram tomando a ponta. Sem chance de acompanhar aqueles malucos!

9767215055_f7608f80b2_bAstros 13.jpg

Acompanhei vários pelotões, uns mais rápidos, outros nem tanto. Com isso acabei por pedalar uns 15 km sozinha. Mas a sensação de estar numa área com tamanha proteção fez o prazer de pedalar ficar ainda maior. Por vezes tive receio de parar por estar numa área de instrução de tiro, aí só restava pedalar e tentar relaxar e contemplar a paisagem. Me concentrei em chegar pelo menos até o almoço (+/- no km 73).

9767223055_d57129d95f_b9767168075_453b83d735_b9767177455_7a395a2227_b9774988194_f65652facd_b

E por volta das 14h, eu e mais alguns companheiros conseguimos chegar. Completamente exaustos! Lá diversas pessoas já estavam se deliciando da maravilhosa lasanha, refrigerantes e sucos geladinhos, e de um delicioso banho gelado. Eu não resisti, apesar da fome, me joguei na água. Quer dizer, molhei os cabelos. (rs!) A água estava congelante!!!

9774992266_9ec897191b_bAstros 15.jpg9774783822_e73771bc47_b9767190086_602dc6dfe2_b9774784822_d6e5c70fd0_b9766983631_27473a0b90_b553593_575555209174856_1677102705_n1239577_575554609174916_744563389_n

Estava comendo minha lasanha quando o presidente deu a ordem, em 20 minutos quem não partisse deveria seguir no caminhão do Exército. Reuni forças e mais que depressa calcei minha sapatilha, abasteci o CamelBack e junto com mais 4 amigos tomei o rumo de volta. Eram mais 50 duros quilômetros. Percorremos juntos por todo o tempo. Nenhum de nós com GPS ou rádio comunicador. Só nos guiamos pelos rastros deixados pelas bikes. Mais 3 bikers no alcançaram e, como era de se esperar, nos perdemos. Andamos uns 10 km à mais. Chegamos ao ponto zero já de noite, com apenas uma lanterna.

9767318573_e69b8172bd_b

Pude observar muita coisa legal com mais essa aventura. Coisas do tipo, generosidade de alguns em esperar pelo companheiro que não estava tão condicionado, mesmo sabendo que ele próprio podia ir adiante e chegar muito mais rápido; o compartilhamento de equipamentos, de lanches, de água. Enfim, pude observar a amizade brotando em meio ao cerrado queimado e cinzento. Isso realmente não tem preço!

Astros 12.jpg

E o preço que pagamos pela grande estrutura que nos foi oferecida? Ah, isso só é possível quando o intuito é exclusivamente pedalar junto dos amigos! Alguns de nós não conseguiram chegar pedalando ao ponto de refeição, outros tantos não conseguiram retornar ao ponto zero, seja pelo avançado da hora, ou mesmo pelo desgaste da ida, mas o fato é que todos somos vencedores por desafiarmos nossos próprios limites. E isso é o que realmente importa.” Eldenice Rocha

“Nove de março de 2011. O que tem a ver essa data com nosso pedal? Foi neste dia, cerca de dois meses antes do Pedáguas nascer, que eu dei a primeira olhada nesta área fantástica do 6º GLMF-CIF. Eu fiz o primeiro mapeamento pelo Google e o mapa registrou a data. Aliás, se tivéssemos feito a trilha que mapeei nesta época, teríamos possivelmente explodido ao passar pelas áreas de alvo, que eu nem imaginava que existiam. E o sonho de pedalar por este mundão de cerrado concretizou-se neste quatorze de setembro de 2013. Foi tenso! Coloque-se em nosso lugar. Ver aquele monte de gente chegando pra pedalar com você, por um lugar que você nem conhece direito, e todos vão te seguir. E se eu me perdesse? E se alguém se machucasse gravemente? Felizmente, tudo deu certo. Nos preparamos muito, por alguns meses, pra que tudo fosse perfeito.

561959_217172518448226_1519902732_n577914_575556302508080_1499646320_nAstros 05.jpg9775116273_fa2eebebfa_b

Fomos muito bem recebidos pelos colegas militares. Fizemos discurso, alertamos para os perigos da área, e partimos. Lá se foi aquele pelotão de quase cem ciclistas.

Astros 08.jpg

9766915662_1bb4f0419d_b2013-09-15 08.43.19 pm2013-09-15 08.58.20 pm9767153666_f0ca0893ca_b9767151224_147626aeeb_bLogo no começo uma turma quis correr. Eu deixei os apressadinhos passarem e em cinco minutos os encontrei parados. Ué? Se perderam? Que nada! Um acidente feio. Um deles entrou num banco de areia e foi jogado de cara no chão. Os óculos quebraram e rasgaram o seu nariz. Chamamos o resgate e o sempre alerta Sargento Leal resgatou o acidentado. Daí pra frente a correria no pelotão dianteiro continuou. Eu tinha que chegar o quanto antes no Acampamento do Prado, onde seria o nosso almoço, ver como estavam as coisas e liberar o almoço pra quem fosse chegando. Segui correndo. Fomos passando por áreas lindíssimas de cerrado, riachos de águas cristalinas, lagoas cobertas de vegetação e cheias de vida. O cerrado, apesar de estarmos no final da seca, estava verdinho e as plantas estavam floridas.

9767151615_dd5e1d4878_b2013-09-15 09.07.01 pm9767278103_9ebc26cd1f_b

E quando cheguei no acampamento, que surpresa! Parecia que teríamos uma festa ali, com mesas e cadeiras plásticas embaixo de tendas. Banners de boas vindas, mapa do percurso e uma linda cachoeira para aplacar o calor. Eu fui um dos primeiros a chegar no acampamento e já eram 13h. Os ciclistas poderiam sair no máximo às 15:30h pedalando para chegar ainda de dia ao final da trilha. Passei a negociar com os militares. Pedi ao Sargento Dias se o caminhão do Exército que ali estava poderia resgatar aqueles que não conseguissem voltar. Ele prontamente concordou. Os pelotões foram saindo por volta das 15h. Eu saí do acampamento às 15:30h e os últimos ciclistas ainda não haviam chegado pra almoçar.

9775050923_908e57617d_b553593_575555209174856_1677102705_n2013-09-15 09.09.11 pm2013-09-15 09.04.29 pmAstros 16.jpg1268417_637860866248297_1058122450_o

Astros 17.jpgComecei sozinho os 50 km finais da trilha e aos poucos fui alcançando os grupos que saíram antes. Essa parte final foi a mais bela do pedal. Belas áreas de cerrado, morros, o pôr-do-sol às 18h. E depois do sol se pôr, estávamos a menos de 10 km do nosso destino, a fazenda Bonsucesso. E os faróis das viaturas iluminaram nosso caminho a partir daí.

9767256353_10fc4cb0c4_b9779812625_eb3c0cced7_b

Depois de um banho rápido partimos para a pizzaria La Palma, nossa confraternização pós-trilha.

530540_637333602967690_2084870449_nAstros 20.jpg9774966606_465e4eefcb_b

Astros 21.jpgBom demais. Um dia pra entrar pra história do Pedáguas.” Evandro Torezan

“Não resta muito o que dizer após narrativas tão competentes como as de Deny e Evandro, então vou tentar ser breve. Porque também não existem muitas palavras que consigam descrever a sensação de bem estar quando se pedala ao lado de tantos amigos, mais de uma centena de quilômetros em meio a um verdadeiro ‘mar de cerrado’ riquíssimo, totalmente preservado. Foram longas e intermináveis subidas e descidas em uma imensa área com entrada restrita desde a década de 70, quando aquelas terras foram desapropriada pela União e transformadas em reserva e campo de instrução militar. Melhor ainda: (sempre muito bem) apoiados pelos militares do CIF e a léguas de distância do ladrão de bikes mais próximo, essa raça desumana que vem crescendo como praga nos grandes centros e interior de nosso país. Nosso esporte envolve riscos, vários sim, mas sem dúvida esse é o que hoje mais tememos.

Sim, é verdade que erramos na dose. A distância da primeira “perna” deveria ter sido um pouco menor. Daria mais tempo para aproveitarmos melhor as atrações do lugar e o nível da trilha desceria de ‘sem noção’ ou ‘muito difícil’ para apenas ‘difícil’. Porém era um percurso inédito. Alguns ciclistas de Formosa já haviam pedalado naquela área, mas nunca o trajeto que fizemos. De dentro de uma Land Rover, como foram os dois reconhecimentos do percurso, tudo parece bem mais fácil de se pedalar. Minha maior preocupação era se a nossa proposta, pedalar por aqueles 120 km entre 9h e 18h era algo possível. E foi, como comprovaram os vários ciclistas que conseguiram completar o percurso proposto. Entre inúmeros feedbacks muito gentis e entusiasmados que recebi, ouvi algumas vezes também a mesma pergunta: ‘Vai ter de novo ano que vem?’. E dou sempre a mesma resposta: ‘Não sei!’ Isso vai depender de muita coisa ainda a acontecer, principalmente da vontade de todas as partes envolvidas na realização desse evento. O Pedaguas é isso, a gente “erra a mão” mas mesmo assim todos adoram!

De resto, ficam a sensação do dever cumprido e o lamento pelos que tentaram se inscrever mas não conseguiram por falta de vagas. Nos dois primeiros dias de inscrições, 80% das vagas já estavam preenchidas. Também sinto pelos inscritos que não conseguiram ou que poderiam ter completado o percurso mas foram obrigados a retornar no veículo de apoio porque não conseguiram sair do acampamento de almoço antes do horário estipulado. Muita gente ficou na dúvida se conseguiria completar um pedal assim mas preferiram ficar sem a resposta sentados no sofá de casa. Vocês tiveram a coragem de ir e  testar seus limites, por isso meus parabéns, respeito e admiração.  Minha estima e apreço reservo especialmente ao comandante do CIF, o Tenente Coronel Oliveira, que acolheu com entusiasmo nossa ideia e nos ofereceu recepção e apoio dignos das grandes autoridades; ao incansável Sargento Leal, da Comunicação Social do CIF, que não mediu esforços para que o nosso evento fosse seguramente um sucesso. Foi nosso contato constante durante meses, inclusive em seus momentos de folga, coordenador, fotógrafo, apoio e resgate de motocicleta; ao Sargento Dias, profundo conhecedor da área que nos ensinou os caminhos para as maiores belezas existentes no local. Solicitamos a eles apenas uma tenda com uma mesa, a qual concordaram, para termos garantida uma sombra sobre as refeições e a caixa de gelo com as bebidas… E o que fizeram? Capinaram e limparam uma área considerável de mata, construíram uma escada e corrimãos de acesso à queda d’água, uma barragem para aumentar o nível de água no poço para o banho, ergueram três grandes tendas com inúmeras mesas e cadeiras, banheiros masculino e feminino, sinalização, banners e mapas do percurso. No meio do nada.969925_575554395841604_556907471_n

1275827_637860959581621_2058794095_oAstros 14.jpg9767273383_be2d399f4d_b1294436_637860919581625_127330056_o

Como se tudo isso fosse pouco, ainda cederam gentilmente suas viaturas para o resgate dos ciclistas cansados ou muito atrasados. E não foram poucos. Teve até soldado fardado, de coturno e tudo, que voltou pedalando (e muito bem!) na bike de um dos resgatados. Sem essa ajuda, não teríamos conseguido o êxito logístico que obtivemos. “Braço forte, mão amiga” não é apenas um lema, é uma filosofia diuturnamente posta em prática no Exército Brasileiro.

Astros 18.jpg1291696_625474220826393_348394288_o1237486_637859296248454_1386611576_o1272754_637860986248285_1708138781_o1273979_637859592915091_1012473825_oAstros 19.jpg622806_637859366248447_525828002_o

Parabenizo também os amigos Simone, Danilo e Bruno do Projeto DV na Trilha, que sempre apóiam nossas aventuras inéditas e sem noção; o Anderson e o David, condutores que proporcionaram aos deficientes visuais Luciano e Wallace a oportunidade de pedalar conosco, providenciando suas inscrições e o transporte deles e das tandem bikes até Formosa, ida e volta. Tudo isso apenas um dia antes de uma importante competição que também participaram. É sempre muito bom termos a companhia de vocês na trilha, que isso se torne cada vez mais comum e constante. Nosso muito obrigado também à Ana Paula, que foi como apoio das duas duplas em seu carro mas acabou cuidando da ‘cozinha’ do pedal, fez o resgate dos mais cansados e até transportou a bike do tal ciclista acidentado.

Astros 02.jpgAstros 04.jpgAstros 10.jpg2013-09-15 08.49.04 pmAstros 11.jpg1240658_418690664903378_1103734005_n

À Deny, que cuidou de várias tarefas administrativas, financeiras e de logística; ao nosso amigo Tenente Alexandre Vilela; aos nossos anfitriões Kinzinho, Júnior e Regina, que sacrificaram horas e mais horas de trabalho e lazer na semana antes do evento para que tudo saísse na mais perfeita ordem em seus mínimos detalhes; à Edna e equipe da Delícias Caseiras de Formosa, que capricharam em nossas deliciosas refeições; ao Diogo da Panificadora Boulette, que gentilmente emprestou sua Fiorino para o transporte do almoço; aos nossos motoristas Bianca e Júnior ‘pé-de-pano’, que sacrificaram um sábado para nos apoiar como verdadeiros anjos da guarda; aos amigos ciclistas de Formosa que marcaram presença em nosso pedal, sejam sempre bem vindos.

Astros 06.jpg

E para encerrar, ao indispensável Evandro, que mapeou nosso percurso à mão graças a uma falha técnica no último reconhecimento, para que um bom GPS tracklog estivesse à disposição de qualquer interessado. Supervisionou a todos como um maestro. Foi visionário quando imaginou um pedal naquele lugar e sendo o único que nos alertou para diminuirmos o tamanho do percurso ainda no ponto zero. Um democrata quando foi voto vencido, mesmo estando certo. Como um autêntico líder, guiou o pelotão da frente pisando fundo até o local de almoço e acompanhou os últimos dois ciclistas que, já de noite, encerraram a trilha: eu e Adonis. Foi um privilégio compartilhar com vocês todos esses momentos. Soa como um clichê, mas pedalar com tantos amigos um dia inteiro em um lugar como esse, não tem preço realmente.” Carlos Duarte

“Adorei o pedal de sábado em Formosa-GO. Foi o pedal perfeito para o meu retorno às trilhas. Muito bem organizado e cheio de pessoas dispostas a superarem seus limites.” Cecilia Heinen

1233045_10201829048226129_203582953_o

“Gente, mais um final de semana incrivel proporcionado pelo pessoal do Pedaguas, Exército, família Tio Kin e todos os outros que participaram da organização. Estão todos de parabéns… não podia ser diferente! Todos esses pedais organizados pra Formosa são maravilhosos… Obrigada Deny, Bianca, Carlão , Evandro, Alexandre, Tio Kin e família, pessoal do Exército e todos que eu não citei mas participaram da organização. E obrigada também aos colegas pedalantes que participaram conosco na trilha. Apesar de termos chegado atrasados, nosso apoio foi providencial e curtimos muito também. Valeu por tudo galera! Grande beijo e até a próxima trilha!!!”
Delaine Parreira

“Galera a trilha (…) foi realmente incrível! A organização do Exército de Formosa-GO, junto com a Eldenice Rocha, Carlos Duarte, Evandro Torezan e outras pessoas estavam nota 1000! O percurso não foi nada fácil e ainda levei uma queda! rs! Mas valeu muito a pena, pois a paisagem era deslumbrante, conheci muita gente legal e revi velhos amigos, como o Carlos que me acompanhou durante a trilha! Me diverti muito e ainda quebrei meu recorde: fiz 122 km! Estava quase desistindo, mas consegui concluir! Agradeço aos que me ajudaram, principalmente a noite, pois estava sem lanterna e quando terminei já estava escuro! Parabéns a todos que conseguiram e os que não conseguiram, pois pelo menos tentaram concluir a trilha! Parabéns também à galera do Projeto DV na trilha! O Pedaguas está de parabéns!” Mari Rodrigues

1000971_575554002508310_1881832385_n

“Mais uma vez passei um dos melhores dias dos últimos tempos em cima de uma bike! Venho agradecer a todos que trabalharam para que isso acontecesse (mesmo sem conhecê-los direito, por enquanto, posso citar alguns Evandro, Eldenice e Carlos). Pedal CIF ASTROS 123 km e 20 km/h, com dor, sofrimento, esforço e muita alegria! Obrigado! (…) garanto a vocês, depois de 72km a lasanha estava divina!!!” Daniel Rosa

“Pessoal, parabéns ao grupo e organizadores do pedal em Formosa!” Fábio Malaguti

“O pedal foi demais! Valeu!!!” Rodrigo Ecoadventure

“Parabéns à todos e especialmente à organização dessa trilha que, apesar de difícil, foi nota 10!!!” Fabiano Alves

“Parabéns a todos os pedaguenses que foram na trilha de Formosa! Teve uma galera que sumiu na trilha deixando os P.D.R.s pra trás comendo poeira! Mesmo chegando no final e não trilhando a volta, foi maravilhoso o pedal!!!” Isa Cruz

“Muito bom receber vocês em nossa cidade, obrigado a todos!” Júnior e Regina

Anúncios

Vamos pra Formosa… de novo!

Por Pedaguas

O Pedal do Tio Kin e o comando do 6º Grupo de Lançadores Múltiplos de Foguetes – Campo de Instrução de Formosa convidam para uma aventura exclusiva e imperdível. Vamos pedalar em uma imensa área particular de cerrado preservado, pertencente ao Exército Brasileiro e utilizada para treinamento e desenvolvimento do Sistema de Artilharia de Foguetes ASTROS. Saiba quando e como participar.

Pedaguas_Cartaz Grupo Astros

O Pedal no Grupo Astros é parte das comemorações do segundo ano existência do Pedaguas. É um evento conjunto do nosso grupo, Pedal do Tio Kin, 6º GLMF – CIF (Formosa) e tem o Projeto DV na Trilha como convidado especial. Programado inicialmente para acontecer no mês de maio, o evento foi adiado para setembro por causa da grave contusão que o Evandro Torezan adquiriu tentando andar de skate. Como ele estava envolvido na organização do evento desde o primeiro momento e reconhecendo sua indispensável e natural liderança, os demais envolvidos neste planejamento decidiram postergar a data de forma a dar tempo para sua recuperação e consequente participação. Prepare-se, está chegando a hora!

O Grupo Astros
Localizado em Formosa GO, às margens da rodovia BR 020 e da Lagoa Feia, é uma extensa área de exercícios de adestramento de lançamento de foguetes do Sistema de Artilharia de Foguetes para Saturação de Área (ASTROS II), desenvolvido pela empresa nacional Avibrás em conjunto com o Exército Brasileiro. Com um alcance entre 9 e 90 km de distância, o sistema tem como diferencial a capacidade de disparar foguetes de diferentes calibres sobre a mesma plataforma. Tal sistema, que continua em desenvolvimento, vêm influenciando a área de foguetes do país e impulsionando novas tecnologias.

Astros-II-580x367

O sucesso do ASTROS II deve-se ao fato de o equipamento possuir alta mobilidade e proteção blindada; concentração de grande volume de fogo sobre o alvo; capacidade de estar preparado para pronto emprego praticamente o tempo todo, com possibilidade de bater alvos a grande distância, com reduzido tempo de resposta, possuindo quatro calibres diferentes sobre o mesmo sistema; reduzida tripulação; e a possibilidade de cada veículo ser transportado por avião cargueiro do tipo C-130, conhecido como Hércules. A viatura de comando e controle é um grande diferencial do Sistema, pois tem a capacidade de coordenar todas as etapas de lançamento de um foguete de forma rápida, precisa e eficiente. O Grupo Astros se dedica ao preparo e emprego do Sistema de Artilharia de Foguetes, demonstrando a importância da indústria nacional no desenvolvimento e na produção de material de defesa com tecnologia agregada e, com isso, as possibilidades de exportação e desenvolvimento de mão de obra especializada, além de zelar pela preservação ambiental em sua área de atuação.

A trilha
Em abril fizemos o mapeamento e reconhecimento do percurso com uma equipe de experientes guias militares, destacada pelo Comandante da Unidade, o Tenente Coronel Oliveira, especialmente para essa missão. A pedalada será de aproximadamente 100 km em estradas de terra praticamente sem tráfego de veículos. A altimetria é leve, sem grandes aclives, porém será uma trilha com classificação difícil, devido à distância percorrida e o tempo da atividade.

2013-05-02 06.32.20 pmSAM_0751.jpgSAM_0689

O percurso é pontuado por vários córregos e lagoas com locais para banho, de natureza intocada, exuberante e com muitos animais típicos do cerrado. Sairemos pela manhã do local chamado Fazenda Bonsucesso em direção ao Acampamento do Prado, onde será servido um almoço leve aos participantes. No local há um poço de água mineral com uma pequena queda d’água. Após o almoço, faremos o percurso de volta por caminho diferente da ida. Aos participantes, é necessária muita atenção às instruções dos organizadores, pois passaremos próximos à áreas de alvo, onde todos devem permanecer impreterivelmente na estrada, não sendo permitido a entrada, utilização da mata às margens da estrada ou caminhos, sob risco de acidentes com artefatos letais.

SAM_0743SAM_0774

Programação – Dia 14 de setembro, sábado
6:10h – Ponto de encontro 1 – Concentração no Posto Policial da quadra 103 de Águas Claras – DF para os inscritos de Brasília.
6:30h – Saída do comboio de carros em direção à Formosa – GO (aprox. 100 km).
7:45h – Ponto de encontro 2 –  Portão do Corpo da Guarda, na entrada do 6º GLMF-CIF, BR – 020 km 07 –  fone: 61 3642 9605. Encontro para os inscritos de Formosa e chegada do comboio de Brasília. Deslocamento de carro para o ponto zero da trilha, a Fazenda Bonsucesso.
9:00h – Início da pedalada.
12:00h – Banho e almoço no Acampamento do Prado.
14:00h – Retorno ao ponto zero.
18:00h – Fim das atividades.

Recomendações e inscrições

  • Revise sua bicicleta antes do passeio, evite quebras inesperadas. É obrigatória a utilização de equipamentos de proteção individual (capacete e luvas). Use filtro solar e leve água e lanche em quantidades suficientes para o percurso, além de câmara(s) de ar reserva e ferramentas adequadas ao seu equipamento.
  • Os inscritos deverão chegar no ponto zero da trilha com recursos próprios, não haverá transporte coletivo (van, microônibus, etc.)
  • Haverá veículo de apoio somente para emergências, todo inscrito deverá estar apto a concluir o percurso sem nenhuma ajuda externa.
  • Caso possua, leve seu rádio walkie-talkie (ou par).
  • Não se aproxime de animais silvestres ou utilize locais para banho que não sejam os indicados pelos coordenadores do passeio. Recolha e leve consigo todo o lixo que produzir durante o dia e não retire plantas ou outras espécies existentes na reserva ambiental.
  • Todos os participantes deverão ler e assinar um termo de compromisso referente ao evento e seguir à risca as instruções dos coordenadores do passeio durante toda a atividade.
  • O cardápio do almoço será lasanha, preparada pela Delícias Caseiras de Formosa (by Edna Dantas), servidas em embalagens individuais de 600g, com opção de molhos à bolonhesa ou frango, acompanhadas de água, sucos e refrigerantes gelados. Os vegetarianos também serão atendidos com uma refeição adequada, bastando fazer a opção no formulário de inscrição.
  • O rateio das despesas será dividido entre os inscritos, com valor de R$ 25,00 p/ pessoa, que deverá ser depositado até o dia 06/09, sexta-feira, na seguinte conta corrente:

    Banco do Brasil – Agência: 1230-0  conta: 63978-8 – ELDENICE F. ROCHA
    CPF: 451.159.581-04.

    Envie seu comprovante de depósito para pedaguas@pedaguas.com . VAGAS LIMITADAS! Sua inscrição só será considerada válida após o pagamento até a data estipulada, do contrário entenderemos como desistente e sua vaga será disponibilizada aos inscritos em lista de espera.

  • Obs: Os custos com almoço e demais despesas será cortesia para os militares lotados no 6º GLMF – CIF e deficientes visuais do Projeto DV na Trilha inscritos no passeio (os condutores dos dv’s deverão participar do rateio).

     

  • Formulário de inscrições individuais – Não deixe sua inscrição para a última hora, clique no link abaixo, preencha o formulário e garanta logo o seu lugar:


https://docs.google.com/forms/d/1pOQJee04oBcy-vjg2pkq5s1rGgv-WrEsCmg9g-6mJ74/viewform

Um fim de semana pra lá de formoso!

Por Carlos Duarte
Fotos: Lu Pinheiro, Júlia Miranda e Sid Reis

Desbravamos pela primeira vez duas trilhas nas montanhas do simpático município vizinho de Formosa – GO. Os que lá estiveram puderam vivenciar momentos inesquecíveis e paisagens indescritíveis, misturados à uma impressionante atmosfera de harmonia e amizade. Porém, impressionados ficariam somente aqueles que não participam costumeiramente das atividades do grupo ou desconhecem uma de nossas características mais marcantes, a forte união.

A vontade de realizarmos esse evento nasceu há aproximadamente um ano atrás, mas começou a se concretizar efetivamente nos últimos três meses. Enquanto alguns integrantes de Brasília preparavam a logística de deslocamento do grupo com suas bikes e bagagens, nosso “braço” em Formosa, representado pelo nossos anfitriões – Club Formosa Bike Sport (Pedal do Tio Kin) e demais familiares do casal Gilson e Deny- cuidavam do roteiro e toda a infraestrutura para nos receber da melhor forma possível. De lá para cá, foram muitas trocas de e-mails e algumas reuniões até que chegássemos ao formato ideal. Aliás, ideal é um adjetivo pobre para definir algo que se mostrou, na prática, sensacional. Duvido que alguém que lá esteve possa discordar.

Mal havia nascido o primeiro sol de setembro, nosso comboio de carros partiu de Águas Claras em direção à Fazenda Citates. Lá, pedalamos em um circuito de apenas 7 km porém altamente técnico, com subidas e descidas em estradas e singles desafiadores, formadas por todo tipo de terreno com obstáculos naturais e artificiais, do tipo que fazem a alegria de qualquer praticante de nosso esporte. Ao fim do pedal, fomos conhecer a bela Cachoeira do Indaiá, onde fomos presenteados com uma paisagem de tirar o fôlego e brindados pela primeira cortesia surpresa aos participantes: um delicioso quibe de forno preparado com carinho e capricho pela Deny.

Partimos para a próxima etapa de nosso roteiro, o Restaurante Rural Dom Fernando, um tanto contrariados por deixar aquela maravilhosa cachoeira para trás. Um completo buffet servido em fogão à lenha, cerveja gelada, pinga de alambique e excelente música ao vivo  fizeram a alegria da turma, que se divertiu muito em uma enorme mesa localizada em uma das varandas do local.

Após algumas horas de festança, deixamos o restaurante em direção ao Hotel Fazenda Araras, um enorme complexo turístico com estrutura completa de lazer. Vimos o dia anoitecer no bar molhado de uma das piscinas aquecidas do local e assistimos a lua cheia nascer no horizonte. E mais um buffet em fogão à lenha nos aguardava para saciar a fome (?) antes do sono chegar.

No dia seguinte, de manhã bem cedo, nos preparamos para mais um pedal, desta vez um trip trail de aproximadamente 70 km, percorrido totalmente em trilha do tipo “estradão”, com uma parada na metade do percurso no Poço Azul, uma nascente de águas azuis incrivelmente transparentes. O sol, o calor e a baixa umidade deste dia nos fazia prever um percurso duríssimo a ser percorrido.

A ida foi marcada por muita poeira na estrada, porém tranquila. Nosso esforço sob o sol foi recompensado na chegada ao Poço, um local de natureza exuberante. Banhar-se em suas águas límpidas e de temperatura agradável era apenas uma das atrações que nos aguardava. A organização providenciou um almoço sob medida no local, em “quentinhas” individuais com lasanhas de carne ou frango preparadas pela Delícias Caseiras de Formosa e um panelão de arroz branco feito com muito capricho pela Vó Joanilda, acompanhados de refrigerantes e sucos gelados.

Depois de curtirmos ao máximo a beleza do local, era a hora da volta. Nossa caminhonete de apoio, cedida gentilmente pelo Júnior, estava recheada de côcos verdes, água mineral à vontade, frutas e muito gelo, a segunda cortesia surpresa de nossos anfitriões, que foram fundamentais na preparação para o pedal de volta. Com o forte calor, a quantidade de subidas e a baixa umidade do ar, nem todos conseguiram completar a parte final. Os primeiros que realizaram o feito, chegaram no povoado de Bezerra, o ponto final da trilha, logo após o pôr do sol. Os demais chegaram heroicamente já no começo da noite. Todos felizes, cobertos de aplausos e muita poeira.

Para fechar a programação com chave de ouro, recebemos a nossa terceira e última  cortesia surpresa: uma rodada de pizzas, cervejas e refrigerantes na praça central de Formosa oferecida pelo Gilson Magalhães, ao ar livre e sob o luar, curtindo o movimento de domingo da cidade.

O mountain bike é a afinidade primária que nos juntou, entretanto através dela fomos descobrindo muitas outras que contribuíram para moldar o que somos hoje, uma grande, barulhenta, divertida, bela e animada família. Literalmente, porque dela também fazem parte maridos, esposas, filhos, familiares e namorados(as) de nossos integrantes, os não-ciclistas ou “futuros-ex-não-ciclistas”, que nos dão suporte e contribuem de forma essencial para o sucesso desta rara e muito bem sucedida mistura fina. Os depoimentos abaixo revelam o sentimento que esse fim de semana nos deixou. Que venham as próximas aventuras!

“ELDENICE e toda a sua família maravilhosa de Formosa, agradecemos de coração a organização desse nosso encontro. Há muito tempo eu não tinha um final de semana
tão diferente e tão bom. Tio Kim, o pessoal do apoio que me fizeram chegar até o final e chegaram comigo, Eldenice e Gilson, Bianca, Júlia e Lu, Guió, e todos os demais MUITO OBRIGADA. Estava tudo perfeito. Só tenho comentários bons e fotos pra relembrar. Estão TODOS de parabéns. E ao Pedáguas que foi junto e participou dessa ida à Formosa, obrigada pela companhia e pela alegria!!!!
Até a próxima galera, se DEUS quiser…” (Delaine e Ivson)

“Galera, nossa viagem pra Formosa foi muito boa. Tudo muito bem organizado pela Eldenice e cia. Quero agradecer muito por tudo que fizeram por nós, para nos proporcionar um final de semana fantástico. Surpresas não faltaram, com cobra na trilha, folhas assassinas, cachoeiras lindas e um poço azul mágico, além de muitas risadas com as piadas do Gilson (ele foi até convidado a ser candidato a vereador). Cidade abençoada essa de vocês. Gostei muito. O Travessos gostou tanto que foi logo comprando um terreno. Regina, Júnior, Kinzinho, Eldenice, Gilson, Bianca, Guiomar, Baiano, Abel, MUITO OBRIGADO. Lu, Júlia, obrigado pelo apoio. Carlão, artista, valeu! Um abraço e até a próxima.” (Evandro Torezan)

“Pessoal, faço das palavras do nosso amigo Evandro as minhas. Parabéns aos organizadores e até a próxima.” (Alexandre Vilela)

“Perfeito! Parabéns e obrigado Eldenice Rocha, Gilson Magalhaes, Joaquim Basilio, Jr., Regina e todos que nos receberam tão bem em Formosa. Grande abraço e valeu Pedáguas!” (Sidcley Reis)

“(…) meu agradecimento a todos os amigos do pedáguas que foram nessa nossa aventura pelas estradas empoeiradas do meu Goiás: Evandro, Leidiane, Gabriel, Carlos Duarte, Ivson, Delaine, Sid, Tatiane, Alexandre Vilela, Isa, Luciana, Julia e Marcelo. Foi simplesmente maravilhoso ter a companhia de pessoas tão especiais, amigas e companheiras. E a toda minha família e amigos, que receberam nosso Pedáguas como verdadeiros anfitriões: Gilson (meu bem rsrs!), Bianca, Gustavo, Lucas, Tio Kim, Guiomar, Augusto, Jr. e Regina, Abel, meu muito obrigada mesmo! Quero agradecer em especial aos meus sobrinhos Jr. e Regina, que não mediram esforços para que tudo fosse o sucesso que foi. Desde escolher as trilhas, o restaurante, o hotel fazenda, cardápio do almoço etc. Abdicaram do tempo deles em nossas tantas reuniões e mesmo doente, a Regina estava lá, se esforçando para nos acompanhar no pedal. Garota você é incrível, não me esquecerei disso jamais! Vocês dois são maravilhosos! Meu bem, não preciso nem falar o quanto você foi importante no passeio inteiro. Seu companheirismo e dedicação, atenção com todos. Você deixou de ir na sua prova de cavalos, que pra você é tão importante, para nos acompanhar nessa aventura. Muito, muito obrigada! Carlos Duarte e Evandro, a contribuição de vocês aqui durante toda a organização também foi fundamental para que tudo desse certo. Valeu demais! Enfim, foi tudo preparado com muito carinho, mas como tudo na vida sempre existem falhas me perdoem se algo não saiu como esperado. Quero só deixar registrado, pra mim valeu a pena cada minuto de tempo despendido nessa organização e durante o final de semana inteiro. Estou simplesmente sem palavras! Enfim, temos muitas historias pra contar, muitas fotos pra mostrar. Um beijo grande a todos que foram e para os que não puderam ir, outras aventuras virão! Isso é certo.” (Eldenice “Deny” Rocha)

“Foi perfeito Miguxinha!!! Parabéns a todos os envolvidos nesse passeio Marávi!!!” (Lu Pinheiro)

“Alô meu povo!!! Caros amigos, como poderia descrever nosso final de semana maravilhoso, fazendo tudo de novo? Com certeza faria com o maior prazer, prazer de estar junto a pessoas companheiras, dar muitas gargalhadas, fazer muito barulho – que o diga o cantor lá do Dom Fernando, quando nossa mesa ficou completa, o barulho era inevitável, aquela pinga boa animou mais ainda a turma, mais parecia uma garotada de colégio se encontrado depois das férias, cada um querendo contar sua história, e ao mesmo tempo curiosos pelo que vinha pela frente, então era sorrir, comer e beber… ‘-Garçom, por favor + outra.’ HFA… Por que HFA??? Eu e meu amigo Ivson, ficamos a perguntar, porque estas siglas nas portas dos chalés, será que tem alguma coisa com o hospital, depois fomos descobrir, se tratava do Hotel Fazenda Araras! kkkkk! A Deny acabou comigo, tudo era festa, lugar aconchegante, comida boa, Tio Kinzin estava com pouco apetite, amanheceu no curral, foi tomar seu leitim tirado na hora, cortou uma garrafa pet e fez seu copinho, ai cada um tomou um pouquinho, deixamos o HFA rumo ao poço azul.  Ao contrário da trilha do Indaiá, trilha difícil e técnica, onde levei minha bike pra passear, carreguei ela nas costas, na subida e na descida e quando era plano o trem não andava era só areia. Pro Poço Azul era diferente, só estradão, sol e poeira, teve amigo que comprou terreno, deve querer criar gado por lá! rsrs! Após os desejados 35km, deixando a estrada entrando um pouco na mata, a arquiteta do universo – mãe natureza – projetou um pequeno Oásis, o Poço Azul, uma verdadeira maravilha, foi ali onde os empoeirados, suados e cansados pedalantes se refrescaram, ainda teve a mágica dos organizadores deste pequeno grande evento, (parabéns!) nos serviram uma deliciosa lasanha, quente que parecia ter saído do forno naquele instante, não e exagero, ainda bem que tenho testemunhas. kkk! Nestes dois dias de passeio, graças ao nosso bom Deus, não tivemos nada de indesejado ou de infeliz, estou pronto pra outra, a todos muito obrigado, que o nosso laço da amizade só cresça, um grande abraço aos meus Amigos em pé e sentados! kkk! Fiquem com Deus. É, EU SÓ SEI QUE FOI ASSIM… Bjos” (Gilson Magalhães)

Mais fotos do fim de semana aquiSaiba mais também sobre a história da cidade de Formosa.

Vamos para Formosa!

Por Pedaguas
 

O Pedal do Tio Kin convida o Pedaguas para duas trilhas imperdíveis nas montanhas de  Formosa – GO. Um circuito técnico em uma reserva ambiental e um ‘trip trail’ até um oásis paradisíaco.

 

Desde a primeira trilha, nosso grupo sempre foi prestigiado por membros da vizinha e simpática cidade de Formosa – GO. E prestígio é um adjetivo modesto para definir o sentimento por termos pessoas tão amigas e “do bem” entre nós, sempre animadas, divertidas, companheiras e solidárias. Os familiares e amigos da nossa querida Deny vivem marcando presença em nossos pedais noturnos, trilhas e reuniões sociais. Naturalmente, e não é de hoje, sempre existiram convites, planos e conversas para que o Pedaguas, como retribuição, fosse pedalar por lá também. Pois bem, convite aceito e finalmente marcado! E o melhor: é programa para levar a família toda, com várias atrações para quem não pedala também.

No primeiro sábado de setembro, sairemos em comboio de Águas Claras em direção ao ponto zero da Trilha Indaiá, a Fazenda Citates, uma reserva ambiental com estrutura completa de lazer.

A trilha é um circuito curto e técnico, onde foi realizada a Copa Formosa no último fim de semana. A dificuldade dependerá apenas do número de voltas que cada um quiser dar no circuito.

No fim da tarde, vamos nos hospedar e jantar no Hotel Fazenda Araras, a +/- 70 km da trilha do Indaiá, que possui lazer completo e ótimas acomodações, para todos os bolsos.


Na manhã de domingo, partiremos após o café da manhã em direção ao Poço Azul, por trilha do tipo “estradão”, onde faremos um piquinique. A distância pedalada será de 74 km no total (ida + volta) e haverá carro de apoio aos ciclistas. No fim da tarde, deixaremos o hotel e retornaremos à Águas Claras.

INSCRIÇÕES

Chegou a hora! Estão abertas as inscrições de nossa viagem para Formosa! Corra para não perder a oportunidade. Preencha o formulário abaixo.

TRANSPORTE

Não teremos transporte coletivo (ônibus), pois não houve número suficiente de interessados.

INGRESSOS, REFEIÇÕES E HOSPEDAGEM

SÁBADO: TRILHA INDAIÁ

 

 

 

 
Day Use: Fazenda Citates

 Por pessoa

Incluso:

R$32,00

Entrada ao parque; visita cachoeiras  
Trilha
Almoço s/ bebida
DOMINGO: TRILHA POÇO AZUL

 

 

 

 
Estadia no Hotel Fazenda Araras

 Camping*

 Quart0*  4 a 5 pes.

 Quarto* até 3 pes.

Incluso:

R$60,00

R$80,00

R$100,00

Por pessoa

Pernoite
JantarCafé da manhã
 Almoço na trilha  R$ 15,00
Desembolso aproximado no final de semana

                   R$107,00

        R$127,00

            R$147,00

 (Por pessoa)

(Lazer/almoço + hospedagem + jantar sábado + café manhã domingo + almoço na trilha) Reservas e pagamentos por conta de cada um.

IMPORTANTE:  

  1. As acomodações em quartos são limitadas, quando esgotarem as vagas, a única opção que restará será o camping. Aos que desejam ficar nos quartos, sugerimos providenciar o quanto antes a reserva junto ao hotel. Levaremos em conta a ordem de inscrição para a reserva.
  2. Na chegada ao Poço Azul, será servido um almoço para os ciclistas. O cardápio foi elaborado pela Deny, será galinhada com macarronada, refrigerantes, sucos, água e gelo servidos em descartáveis. O rateio é de R$ 15,00 por pessoa; bebidas alcoólicas devem ser adquiridas à parte. Os interessados devem depositar o valor do almoço até o dia 29/08, quarta-feira, na conta corrente abaixo:

Banco do Brasil – Agência: 1230-0  conta: 63978-8 – ELDENICE F. ROCHA

DETALHES DAS TRILHAS

Dia Trilha Dificuldade Custos
Sábado Indaiá Trilha curta com trechos técnicos Day Use Fazenda Citates: R$32,00 p/ pessoaIncluso:
– Entrada ao parque visita cachoeiras
– Trilha
– Almoço s/ bebida
Domingo Poço Azul Trilha longa, estradão de 74 kms Será servido um almoço: R$ 15 p/ pessoa (pagamento antecipado)

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

Inscrições encerradas!

ABELHAS ASSASSINAS – RELATO

Trilha Abelhas Assassinas – 13/08/2011

O negócio tá ficando bom! Acredito que hoje tivemos recorde absoluto de participantes nas nossas trilhas. A turma da BICICLO NUNES, de Formosa/GO, a convite da Eudenice e Lú Pinheiro compareceu em peso. Registro aqui nosso agradecimento a eles, em nome de toda a família PEDAGUAS,  por terem participado da nossa trilha hoje. E lógico, estamos devendo uma visita à Formosa, nós iremos mesmo sem convite;  A Eudenice e a Lú já sabem o caminho mesmo.

Fiquei pensando que seria uma mero passeio de bike numa trilha de 12kms. Que nada! A trilha Abelhas Assassinas me surpreendeu, nos proporcionou momentos de muita adrenalina e emoção na manhã deste sábado. A adrenalina e a emoção nos acompanharam por todo o trajeto e nem mesmo aquelas subidas e descidas mais leves nos deixavam à vontade, desantenciosos, pois o risco de acidentes nos acompanhou por todo o percurso.

O início da nossa jornada é de asfalto e estradão, saímos da Vendinha do Altiplano Leste, pouco depois nos deparamos com uma descida bastante  técnica que nos presenteia com um riacho no seu final, nesta época meio seco. Logo após o riacho enfrentamos uma subida um pouco inclinada, alcançando o ponto mais alto do circuito e um visual muito bacana. Acredito que ali seria a metada da trilha. Não usei ciclo computador hoje. No retorno enfretamos alguns morrinhos mais curtos no esquema sobe e desce até pegar o mesmo caminho na volta, pois parte do trajeto se repete.

Tombos nesta trilha!?! Alguém viu mais que eu? As fotos no nosso álbum darão a resposta. O destaque da trilha é o visual fantástico que ela nos proporciona.

Como citei, foram apenas 12kms de trilha, indicada para iniciantes, se fosse uns 60kms ou mais  muitos iram ralar e suar para chegarem ao fim, pois até mesmo a galera mais expert  teve dificuldade para encaram alguns trechos. Apesar de curta, a pedalada é bem dura devido às muitas subidas, valas, pedras. Sem contar com a temperatura naquele horário.

Tivemos tombos fantásticos, cansaços inexplicáveis, subidas cantarolantes. Tivemos câmara de ar estourada, pedivela desencaixado, risadas, xingamentos, palavras novas. Muito calor e suor. Tivemos mal humor, respeito, ajuda ao próximo, alegria, tolerância, SAMU, resgate, piadas, conclusões.Tivemos amigos. Tudo o que vivi nesta trilha foi exatamente assim: marcante, até cheguei  a conclusão que somos um grupo que começou e não vai ter fim tão cedo.

No final coca-cola, gatorade para a turma mais light e cerveja pros… deixa pra lá… e bate-papo descontraído com a galera de FORMOSA .

Quem foi, foi… quem não foi, não foi…

No mais é isso aí, pedalem e se cuidem!

R.A.G.E (o cozinheiro do PEDAGUAS)

P.s: A nossa próxima trilha será LENHADOR, dia 20/08.